O Livro

O Livro

Apresentação do Livro CHICORONHO

Apresentação do Livro CHICORONHO
FNAC Almada - 17/04/2010

Apresentação do Livro CHICORONHO

Apresentação do Livro CHICORONHO
FNAC Algarve - 24/01/2010

Vídeos da apresentação do livro CHICORONHO

Loading...

sexta-feira, 18 de março de 2011

Noticias de Kalukembe

A administração municipal de Kalukembe está a levar a cabo, desde Janeiro último, acções de loteamento de 1.430 hectares das reservas fundiárias do Estado para a construção de novos projectos habitacionais.


De acordo com o administrador Alexandre Chitacumbi, os trabalhos dos técnicos permitiram a urbanização de mais de 500 lotes, cada um com 1.000 metros quadrados. Este projecto, dizia, visa a melhoria da qualidade de vida dos munícipes.

O responsável local explicou que as áreas loteadas são destinadas à construção de casas de média e baixa renda, inseridas no Programa Habitacional do Executivo e, por meio do processo de auto-construção dirigida, infra-estruturais sociais.

Alexandre Chitacumbi disse que as novas zonas urbanizadas vão servir, também, para realojar os munícipes que construíram casebres ao longo das bermas de estradas, ruas, linhas de escoamento de águas residuais e outros locais considerados de risco.

A administração municipal está ainda empenhada na construção de escolas e salas de aulas, posto de saúde, furos de águas, latrinas públicas, recuperação de pontes destruídas durante o conflito armado, respectivamente nas comunas de Calepi N´gola e Cussesse.

Segundo o responsável, as autoridades administrativas têm um vasto programa, que contempla ainda a instalação de um grupo gerador de 800 KVA, de ampliação da rede de distribuição, visando melhorar o abastecimento de energia eléctrica à população.

O município ganhou igualmente oito casas do tipo T3, que estão a acomodar os quadros da administração, rematou o administrador.

Terrenos para Jovens na Provincia da Huíla

Vários terrenos com mil metros quadrados de área estão a ser distribuídos aos jovens da cidade do Lubango, província da Huíla, para neles erguerem as suas casas, no âmbito do projecto de autoconstrução dirigida do Programa de Fomento Habitacional.


O processo, iniciado no ano passado, já contemplou 300 jovens filiados em distintas organizações desportivas, culturais, estudantis, religiosas, entre outros organismos.

O director provincial da Juventude e Desportos na Huíla, Francisco Barros, que prestou ontem a informação, considerou já haver alguma visibilidade do empenho dos jovens nas novas urbanizações, onde várias casas estão a ser construídas.

Francisco Barros disse que a distribuição de terrenos foi a primeira fase. A seguir a este passo, será a vez da concessão de créditos bancários, sendo para isso necessário que o solicitante apresente, entre outros documentos, o título de propriedade da parcela de terra.

Nesta altura, estão em curso negociações avançadas com as instituições bancárias, no sentido de ajudar o governo local a resolver o problema habitacional que a juventude enfrenta, salientou o responsável.

Além da cidade do Lubango, a distribuição de lotes de terreno à juventude prossegue igualmente nos municípios da Humpata, Quipungo, Matala, Caluquembe, Gambos e Cacula. Francisco Barro anunciou, para este ano, a construção de mais bairros sociais da juventude em quase todos os municípios da Huíla, de forma a corresponder às expectativas dos jovens.

No entanto, como estes não são suficientes, o governo provincial considerou que os projectos de autoconstrução dirigida podem resolver o problema.

terça-feira, 15 de março de 2011

15 de Março de 1961

“Ouvistes que foi dito dos antigos:


Não matarás!”(Êx.20,13)

“Amai os vossos inimigos, e rezai por aqueles que vos perseguem”. (Mateus:6, 16)

“Pode matar-se alguém que odeia, mas não se pode matar o ódio mas é do ódio que estamos a tentar livrar-nos.” (Martin Luther King)

“Ou aprendemos a viver juntos como irmãos e irmãs ou perecemos juntos como loucos” (Martin Luther King)

Eis até onde tem de chegar o amor cristão. Jesus não pode admitir que excluamos alguém do nosso amor. É, certamente, um dos preceitos mais difíceis de cumprir; mas, por isso mesmo, um daqueles que mais nos enobrece e mais nos aproxima de Jesus Cristo.

Transcrevo também algumas ideias do grande Luther King, porque na época dele (até aos anos 60 do século XX) os negros nos EUA viviam esmagadoramente na miséria e eram proibidos de frequentar as mesmas escolas dos brancos, beber onde os brancos bebiam etc.., no entanto, ele preconizou a mudança nos EUA, sem apelos à violência.

Muitos neste momento pensam : «o caso de Angola é diferente porque estamos a falar de uma nação que estava colonizada por outras». Contudo a esses respondo que um só homem libertou a sua nação sem nunca ter apelado à violência - Mahatma Gandhi.

Gandhi libertou a Índia, colonizada pelo Reino Unido, tornou-se uma nação independente em 1947, após uma luta pela independência que foi marcada pela extensão da resistência não-violenta.

A luta pela independência em Angola foi justa mas podia ter tido contornos não violentos, mas admito que líderes como Gandhi ou Luther King foram únicos, por outro lado, cumprir as palavras do Grande JESUS, não é fácil e por isso Ele disse “o caminho é estreito”. Contudo, repudio totalmente os actos do 15 de Março de 1961, uma data negra, diabólica, porque os crimes cometidos nesse dia foram hediondos e não orgulham nenhum angolano!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Onde pairam os cobardes mascarados que apelaram a revolta em Angola no 7 de Março de 2011?

Hoje dia 7 de Março, foi um dia importante para todos aqueles que amam verdadeiramente Angola!


Muitos colonialistas, falsos amigos de Angola e falsos angolanos, esfregavam as mãos na esperança de voltar a ver Angola em sangue e sofrimento. Todos andavam a comentar de que milhares de angolanos se iam juntar para fazer uma revolução em Angola no dia 7 de Março de 2011, com o objectivo de derrubar os actuais governantes.

A convocatória para a dita revolução foi feita pela internet, mas o mais triste nesta história, é que foi uma convocatória realizada de forma anónima, própria de pessoas cobardes e sem carácter. Os cobardes tentaram usar o povo angolano como «carne para canhão».

No passado, muitos inimigos de Angola faziam manobras idênticas e piores que estas, com o objectivo de criar ódios entre os irmãos angolanos, mas esses imbecis de coarctada inteligência, ainda não perceberam que nós nunca mais nos deixaremos iludir nem enganar por gentalha desta!

Compreendo a preocupação dos dirigentes do MPLA, mas não eram necessárias intervenções como a de Bento Bento, porque o valor da paz em Angola é de tal forma grandioso, que não há um único angolano que queira voltar ao passado da guerra.

Aliás, os estrategas políticos do MPLA demonstraram algum desfasamento da realidade, porque era evidente para todos os angolanos que a convocação do 7 de Março iria resultar num engodo monumental! Por isso, a reacção de alguns dirigentes do MPLA foi o único acto que acabou por valorizar a convocação da revolta do 7 de Março, ou seja, foram as multiplicações das acções do MPLA que começaram a preocupar os angolanos e deram dimensão a uma acção que não a tinha.

A acção dos teóricos do MPLA foi um dos maiores erros políticos dos últimos anos, deste partido, porque agora, serão muitos aqueles que dirão que não houve uma grande manifestação no dia 7 de Março, porque as pessoas foram ameaçadas, amedrontadas com os discursos, blá, blá, blá!

Os estrategas políticos do MPLA prejudicaram mais do que ajudaram o nosso Presidente, o Presidente de todos os angolanos, José Eduardo dos Santos. Ele não necessita de apoio dos seus correligionários, porque ele tem o apoio daqueles que mais precisa – o seu povo, o povo angolano.

O nosso Presidente tem demonstrado que mereceu a vitória em 1992 e merecerá em 2012. Aqueles que o rodeiam deviam ter maior confiança no trabalho que ele tem realizado como grande obreiro desta nova Angola e uma esmagadora maioria dos angolanos reconhece-lhe exactamente isso.

Nós, angolanos, sabemos que ainda há muitas dificuldades, que há miséria e desigualdades e por isso, não precisamos que nos digam quais são os nossos males, porque nós sabemos. Mas todos aqueles que só olham para o negativo da nossa terra, se fossem possuidores de alguma inteligência, saberiam que não se transforma um país devastado por uma guerra civil de quase três décadas, em meia dúzia de anos.

Vejam o exemplo de Portugal que não teve uma única guerra nos últimos cem anos e tem recebido milhões de euros da União Europeia, todos os dias nos últimos 26 anos, no entanto, está falido tecnicamente, onde se têm fechado escolas, centros de saúde, elevadíssima taxa de desemprego, aumento da emigração, reduções de salários, jovens sem esperança no futuro do país, etc…

Porém, todos querem que Angola se transforme de um dia para o outro num país sem falhas e sem problemas. Orgulhosamente, posso dizer que Angola muda todos os dias e muda para melhor. No nosso país não se fecham escolas, constroem-se novas escolas. No nosso país não se fecham centros de saúde, constroem-se novos centros de saúde. No nosso país não aumenta a emigração, aumenta a imigração. No nosso país não há reduções de salários, mas aumentos. No nosso país os jovens têm esperança no seu futuro!

Venham conhecer a nossa terra, a nossa alegria, a nossa prosperidade. Façam o que já 100 mil portugueses fizeram, venham viver em Angola e nunca mais quererão regressar aos vossos países, porque o encanto das belezas naturais da nossa terra e a hospitalidade do nosso povo, farão de vocês, pessoas mais felizes.

VIVA ANGOLA!